quarta-feira, 31 de outubro de 2007

A frasqueira

Penalty nao marcado

Lau

Continua jogando mal, dando passes errados e perdendo bolas no meio de
campo.

Enviado do meu iPhone

Aquecimento do ABC

Entrei no estadio

Ja estou em Itumbiara

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Lau?

Lau foi escalado, por Ferdinando Teixeira, para substituir Juninho Petrolina no meio de campo. Éder vai ser o companheiro de Ivan no ataque.
Isso é o que está se falando em Natal, nas resenhas esportivas.
Vindo de Ferdinando, eu entendo isso de outra forma: Lau vai entrar como mais um volante, Éder entra no meio de campo, fazendo a parte que ele sabe - criação, e Ivan vai pro sacrifício, no ataque; em um típico 3-6-1. Claro que Éder joga mais adiantado para tentar acompanhar a velocidade de Ivan no ataque.
Bom, é ver pra crer.
Sobre o Juiz, também tenho um pitado a dar. O árbitro é o gaucho Evandro Rogério Roman, vinculado a federação paranaense. Ele apitou Vasco x Palmeiras no último domingo, e eu acompanhei essa partida. Ele é um juiz que deixa o jogo correr, não marca muitas faltas, e nem solta tantos cartões.
Nessa última partida, por exemplo, o primeiro cartão saiu exatamente na expulsão de Valdívia, aos 40 do segundo tempo.

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Vou para ITUMBIARA

Vou à Itumbiara assistir o jogo do ABC contra o CRAC.
Quem quiser acompanhar pelo rádio, pode também acessar o nosso blog que vai ver imagens AO VIVO do jogo, enviadas pelo celular.
Vou chegar cedo e acompanhar desde a chegada do ônibus do MAIS QUERIDO ao estádio.
Também vamos estar no jogo em Teresina-PI contra o Barras (meu irmão vai estar lá), e nos 2 jogos do ABC em Goiânia, contra o Vila Nova e Atlético.
Todos os torcedores pode esperar que vou inundar o blog com fotos e vídeos (os vídeos vão estar no dia seguinte, pois vou postar primeiro no YouTube) desses 4 jogos fora de Natal.
Essa é a foto do estádio Juscelino Kubstischeck, onde o ABC jogará. O mandante do estádio é o Itumbiara E.C., que chegou a jogar na primeira fase da série C.

Seleção da série C

Novamente Wallyson, novamente Juninho Petrolina, e novamente Ferdinando Teixeira.
Vamos à nova escalação da seleção da série C do site FutebolInterior:

Goleiro: Márcio (Bahia): Não teve culpa no gol do Atlético-GO. No lance, a falha foi da defensiva baiana. Fechou o gol e foi grande responsável pela importante vitória do Bahia sobre o Atlético-GO, por 2 a 1, fora de casa.
Lateral-direito: Dede (Crac-GO): Este já é figurinha carimbada, mas faz por merecer. É a grande força ofensiva do time de Catalão. Contra o Barras, era presença constante no campo defensivo dos piauienses, porém, sem esquecer da sua obrigação na marcação.
Zagueiro: Vanderlei (Bragantino): Firme na marcação, desceu varias vezes no ataque e por pouco não conseguiu acertar o gol de Ricardo.
Zagueiro: Eduardo (Bahia): Grande revelação das categorias de base do Bahia, Eduardo tem tudo para se tornar um dos melhores zagueiros do futebol brasileiro. Rápido e com ótimo senso de posicionamento, ele detém todos os recursos necessários para um zagueiro.
Lateral-esquerdo: Paulinho (Bragantino): Teve, novamente, uma grande exibição pelo setor esquerdo. Firme na defensiva, ele foi rápido nas jogadas de apoio nos ataques pelo setor esquerdo, e conquistou a vaga pela regularidade nos jogos.
Volante: César Gaúcho (Bragantino): Novamente um leão dentro de campo. Corre para todos os lados e não cansa um segundo sequer. É o pulmão e coração do Bragantino ao mesmo tempo.
Volante: Fausto (Bahia): A regularidade de Fausto impressiona. O Bahia é um time com outra cara quando ele está em campo. Anulou o meia Anaílson, do Atlético-GO, o que facilitou o trabalho do setor de criação e ofensivo do Tricolor.
Meia: Davi (Bragantino): Além de marcar o único gol da partida, deu trabalho à defensiva paraibana, com varias jogadas ofensivas. É o famoso camisa 10 que todo time sonha em ter.
Meia: Juninho Petrolina (ABC): Mesmo tendo sido bem marcado pelos adversários, o meia do ABC foi o principal articular no meio-campo do time potiguar, na goleada de 4 a 0 sobre o Vila Nova, sábado, no Frasqueirão. Armou, marcou, deu passes perfeitos e deu o ritmo ao time que continua no G4 - grupo de acesso da Série C.
Atacante: Wallyson (ABC): Com apenas 19 anos é a grande sensação do ABC de Natal, o maior campeão estadual do país - já foi 49 vezes campeão potiguar. O garoto marcou dois gols e ainda perdeu um pênalti, defendido pelo goleiro Fabiano, do Vila Nova. Ele já tem 11 gols na Série C e passa a ser a grande espera de acesso do Alvinegro neste Octogonal Final.
Atacante: Danilo Santos (Crac-GO): Tudo bem que Danilo Silva perdeu um pênalti, mas fez o primeiro gol do Crac, na vitória, por 3 a 1, sobre o Barras, e participou ativamente do segundo, roubando a bola na intermediária e tocando para Tico Mineiro, sem goleiro, marcar.
Técnico: Ferdinando Teixeira (ABC): Como num compasso marcado, o ABC joga sob a batuta de Ferdinando Teixeira, um treinador que tem história no futebol nordestino, em especial no futebol potiguar. O alvinegro está bem armadinho e mostrando ter condições de brigar pelo acesso à Série B, em 2008. E com participação importante de seu experiente treinador, que não inventa, mas resolve.

E o feitiço virou contra o feiticeiro

Hoje eu estou cheio de "frases feitas"...
Mas uma coisa é verdade: A Copa RN foi colocada para se jogar no final desse ano para que os times que não tinham calendário o ano todo pudessem jogar o ano inteiro (e fazer contratações, manter o time, etc). Dentre eles, o ABC F.C.
O América tinha calendário e, para ele, a Copa RN não tinha fundamento, nem de calendário, nem de título (já que no início do ano todos (imprensa, América, etc) achavam que seriam campeões e a copinha não teria valor).
Entretanto, contudo, todavia, tudo se inverteu: o ABC conseguiu se manter até o final do ano com um time altamente competitivo, conseguiu excelentes contratações (e dispensou exatamente quem não jogava), foi campeão estadual (e garantiu a vaga antecipada para a Copa do Brasil, tanto que joga a copinha com o "expressinho"), e está muito bem classificado para a ascensão à serie B.
Já o nosso grande rival, esse sim é que precisa da Copa RN. Para o América, o Campeonato Brasileiro da Série A, não é mais prioridade, e sim a Copa RN.

Da água para o vinho

Vejam como é a matemática.
O site Chance de Gol (http://chancedegol.com.br/), famoso pelas estatísticas de campeonatos, mostrava na semana passada as poucas chances do ABC para se classificar pra série B. Estava em quinto colocado, na estatística deles.
Hoje, o mesmo site já indica do ABC como um dos grandes favoritos a vencer o Campeonato Brasileiro. É brincadeira?
No meu entender, isso é tudo balela. Matemática nunca ganhou nada, muito menos loterias.
O ABC tem que se concentar no campo, como vem fazendo, e ir em busca dos pontos para subir para a série B.
Mas, se vier um Campeonato, vem bemvindo!

sábado, 27 de outubro de 2007

Resenha do jogo, ABC 4x0 Vila Nova

O ABC é o novo líder do octogonal final da Série C. Numa noite inspirada de Wallyson e companhia, o Mais Querido fez uma de suas melhores apresentações no ano e goleou o Vila Nova-GO de Túlio Maravilha por 4 a 0 no estádio Frasqueirão em jogo válido pela quinta rodada da competição. Os gols do alvinegro potiguar foram marcados por Wallyson (2), Anderson contra e Clênio. O placar poderia ser ainda mais dilatado, caso o xodó Wallyson não tivesse desperdiçado um pênalti.
Com 10 pontos ganhos, o ABC lidera provisoriamente o octogonal. Neste domingo, a rodada prossegue com mais três jogos: Bragantino x Nacional-PB, Barras-PI x CRAC-GO e Atlético-GO x Bahia. Na próxima rodada, o ABC terá um importante desfalque. O cartão recebido pelo atacante Wallyson aos 19 minutos da etapa inicial contra o Vila Nova por reclamação foi o terceiro do jogador, que está fora do jogo contra o CRAC na quarta-feira em Itumbiara.
O lance curioso da partida foi proporcionado no lance que originou o pênalti sofrido por Clênio e que originou o quarto gol. O goleiro Fabiano lesionou-se e como o Vila já havia feito três modificações, o meia Alex Oliveira teve que ir para o gol.

O jogo
O ABC começou a partida partindo para cima e logo aos três minutos Wallyson mostrou seu cartão de visitas. O xodó da Frasqueira recebeu passe na entrada da área e bateu forte de perna esquerda no ângulo de Fabiano, marcando um golaço e explodindo a Frasqueira, que mais uma vez lotou as dependências do Maria Lamas Farache.
Ainda atordoado, o Vila tentou responder rápido. Numa cobrança de falta de Elvis aos oito minutos, Raniere bateu roupa e no rebote o zagueiro Anderson acabou fazendo falta no goleiro alvinegro. Bem postado em campo e com a vantagem no marcador, o ABC interceptava bem as investidas dos goianos, segurando bem o principal articulador do time Alex Oliveira e evitando que a bola chegasse ao artilheiro Túlio. Nos contragolpes, o Mais Querido ainda chegava com perigo usando a velocidade de Ivan e Wallyson.
Aos 24 minutos, Juninho Petrolina fez boa jogada e acabou sendo derrubado na área pelo zagueiro Goiano e o juiz carioca Wagner Rosa marcou pênalti. Wallyson bateu com direito a paradinha e tudo, mas o goleiro Fabiano praticou boa defesa jogando a bola a escanteio.
Atuando com velocidade, quatro minutos depois o ABC teve mais uma grande chance com Wallyson. O atacante recebeu passe precioso de Rogerinho e bateu com força, mas Fabiano voltou a impedir o grito de gol da Frasqueira. O melhor momento do tigre goiano na etapa inicial foi aos 40, quando após uma seqüência de cobranças de escanteio Alex Oliveira quase marcou gol olímpico.
No último lance do primeiro tempo, aos 46, veio o alívio. Juninho Petrolina enfiou passe milimétrico para Wallyson, que entrou livre e com categoria tocou na saída de Fabiano, marcando o segundo gol dele e do ABC e se redimindo do pênalti perdido.
Perdendo o jogo, o técnico Artur Neto voltou para o segundo tempo com Paulo Ramos no lugar de Elvis. Logo aos seis minutos, Alex Oliveira cobrou falta, Raniere desviou e a bola "beijou" o travessão do ABC.
A resposta alvinegra foi fatal. Aos 10 minutos, Nêgo cruzou na área, a bola bateu no zagueiro Anderson e foi "morrer nos fundos das redes alvirrubras. No tudo ou nada, o técnico Artur Neto sacou o volante Heleno e pôs em campo o meia Juninho. Na base do abafa, os goianos criaram duas boas chances, primeiro com Túlio que acertou a trave de Raniere e depois com Alex Oliveira aos 14 minutos, que chutou bola com perigo rente a trave do alvinegro.
Mais na base do desespero do que da técnica, o Tigre seguiu em busca de seu gol. Levando perigo sobretudo nas bolas paradas, os goianos desperdiçaram mais uma boa chance aos 25, quando Túlio livre na área cabeceou para fora. Aos 30, cansado pelo ritmo alucinante imprimido na partida, o atacante Wallyson deu lugar a Clênio. Três minutos depois, foi a vez do falastrão Túlio ser substituído e levar uma das maiores vaias da jovem história do Frasqueirão.
Apesar das investidas goianas, a noite era mesmo do ABC. Aos 35, Clênio foi acionado, mas antes de chegar na bola foi derrubado por Heleno e o árbitro carioca marcou novo pênalti. O goleiro Fabiano se lesionou no lance e como o Vila Nova já havia feito as três substituições o meia Alex Oliveira foi para o gol. Após seis minutos de paralisação, Clênio foi para cobrança e marcou o quarto gol do Mais Querido, levando a Frasqueira ao delírio e dando números finais ao jogo.

Fonte: Diário de Natal

ABC 4x0, e podia ser muito mais

Em uma apresentação excelente, o ABC assume a liderança do octogonal final da série C.
Wallyson fez os 2 primeiros, Nêgo em um cruzamento fez o terceiro, e Clênio de penalty fez o quarto.
Wallyson ainda perdeu um gol de penalty e perdemos outros mais durante o decorrer da partida.
O Vila Nova tem um time muito bom do meio de campo para o ataque, mas a defesa veio sem 3 titulares. E essa fragilidade foi onde o ABC venceu a partida.
O próprio goleiro do Vila Nova saiu reclamando dos companheiros. Ah, o goleiro saiu machucado no lance do Penalty e Alex Oliveira (meia) foi para o gol, já que Artur Neto já tinha feito todas as substituições.
Grande apresentação do ABC que não joga com Wallyson em Itumbiara, contra o Crac, pois levou o terceiro cartão amarelo. Provavelmente Éder e Clênio farão a dupla de ataque em Goiás.
Em instantes a resenha completa do jogo.
Somos líderes, e vamos subir ABC!!!

ABC 4x0, gols: Wallyson (2), Anderson (contra), Clênio
Público pagante: 12970
Renda: R$ 143.241,00

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

TODOS ao Frasqueirão hj, rumo à liderança

O Vila Nova é um adversário difícil. Em 11 partidas jogando fora de casa, foram cinco vitórias, quatro empates e duas derrotas, com 57,5% de aproveitamento. No octogonal, o Vila só conquistou pontos atuando nos domínios do adversário.
Mas o time vem com alguns desfalques: o lateral-esquerdo Possato, com lesão na coxa direita, está fora. Também, o volante Álisson e o zagueiro Henrique estão suspensos pelo terceiro cartão amarelo.
Os destaques do time são o meia Alex Oliveira e o atacante Túlio Maravilha, que já foi confirmado pelo técnico Artur Neto para o jogo, segundo os jornais daqui de Goiás. Ele tem um problema na panturrilha direita, mas não sentiu as dores nos últimos dias.
Já o nosso Mais Querido, o técnico Ferdinando Teixeira não contará apenas com Alan. Com dores no músculo adutor da coxa direira, o zagueiro terminou vetado pelo departamento médico. Quem entra é o reserva Fabiano, que volta de suspensão automática, em virtude da expulsão no jogo contra o Bahia, pela terceira rodada da Série C.
A única dúvida do treinador alvinegro continua sendo no ataque. Recuperando-se de uma fisgada na coxa direita, Ivan vai ser avaliado na manhã de hoje e caso fique de fora, Ferdinando terá como opções Éder e Clênio, já que Fábio Silva foi convocado para o time B, que disputa a Copa RN, na preliminar do jogo contra o Vila Nova (Fábio Silva joga contra o Alecrim).
Vai ser um grande jogo, e vamos começar a mil, como sempre fazemos.
E não devemos nos descuidar do jogo caso estejamos na frente. O Vila Nova não desiste fácil de um jogo. A defesa tem que atuar bem, e não pegar pesado, pq os árbitros não estão aliviando nos cartões amarelos nessa fase.
O apito é do carioca Wagner dos Santos Rosa, que tem se envolvido em algumas arbitragens polêmicas sim.
Vamos subir ABC!

Seleção da série C: Mais 3 do ABC

A seleção do meio da semana, escolhida pelo site FutebolInterior, tem novamente mais 3 jogadores do ABC, confira:
Goleiro: Fabiano (Vila Nova-GO): Esteve bem defendendo o gol goiano, não teve culpa do gol sofrido e soube ganhar tempo com a bola parada. Responsável direto pelo bom empate fora de casa do Vila.
Lateral-direito: Dede (Crac-GO): Além de fazer um belo gol, acertando um lindo chute de voleio, Dede se fez presente nos momentos mais importantes da vitória do Crac. Como é de conhecimento geral desde o início da Série C: o time depende muito dos seus alas, e Dede comprovou isso mais uma vez.
Zagueiro: Ben-Hur (ABC-RN): Atuando como líbero, não deu chance para os atacantes do Nacional-PB, que ficaram sem ter o que fazer. Toda vez que dominavam a bola, Bem-Hur chegava junto e fazia o desarme.
Zagueiro: Da Silva (Bragantino): Soberano. Não perdeu uma jogada, não teve culpa do gol sofrido e ainda tentou auxiliar o ataque.
Lateral-esquerdo: Rogerinho (ABC-RN): Forte na marcação e eficiente no ataque. Iniciou, de forma inteligente, a jogada do gol da vitória do ABC.
Volante: Somália (Bragantino): Jogou de lateral-direito, mas como é volante de origem é assim que será escalado na Seleção FI. Foi a válvula impulsora do time bragantino, jogando na lateral direita, apoiou o ataque e esteve presentes em quase todas jogadas ofensivas.
Meia: Juninho Petrolina (ABC-RN): Salvou o ABC na noite da última quarta. Não contente em apenas servir os companheiros, completou boa jogada pela esquerda, mostrando bom posicionamento e muito oportunismo.
Meia: Davi (Bragantino): Foi o melhor em campo. Consciente, colocava a bola no chão e de seus pés aconteciam jogadas perigosas de ataque bragantino. Deu trabalho a defensiva goiana.
Meia: Alex Oliveira (Vila Nova-GO): Comandou os contra-ataques do time goiano. Assumiu as cobranças de faltas e lançamentos, e marcou um golaço, num belo chute de fora da área.
Atacante: Valdir Papel (Bragantino): Foi mais uma vez o terror na defesa adversária. Participou de quase todas jogadas de ataque dentro da área, buscou bola na intermediária e marcou um gol de cabeça, subindo mais que os zagueiros goianos.
Atacante: Pantico (Barras-PI): Seu retorno foi de extrema importância para o Barras, que sem Pantico não tem um atacante velocista e oportunista. Não temeu a Fonte Nova lotada e caprichou na conclusão para marcar o primeiro gol dos visitantes.
Técnico: Vladimir Araújo (Crac-GO): Faz um grande trabalho à frente do time goiano, a única surpresa da Série C que não está decepcionando na reta final. Soube dar uma base ao time e vem colhendo os frutos. Desbancou o líder Atlético-GO, no Serra Dourada, sem muito mistério, apenas treinando e confiando em seus comandados.

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

ABC 1x0 Nacional

Grande vitória do ABC, que realmente dá um bom passo rumo à classificação final.
A Frasqueira compareceu em peso. E mesmo com as faltas invertidas, com os cartões amarelos para 2 jogadores do ABC no começo do jogo, conseguimos nos impor e vencer pelo placar mínimo.
Juninho Petrolina fez o gol da vitória alvinegra.
Pouco mais de 3000 torcedores no Amigão. Engraçado ver que as torcidas de outros times (sem ser ABC e Bahia) vão pouco ver seus times.
No clássico goiano dessa noite, por exemplo, foram 3500 torcedores, para ver o líder jogando?
Já em Bragança Paulista, os portões já estavam aberto dessa vez, mas 1500 torcedores compareceram.
Aquela frase que a Frasqueira canta é um fato: Que torcida é essa?
No próximo jogo, domingo contra o Vila Nova, vamos segurar Túlio Maravilha, que não se intimida com torcida, jogador tarimbado, experiente. Portanto, com ele, a zaga tem que atuar bem.
E vamos fazer nosso jogo no ataque.
Vamos subir ABC.

Foto: Frankie Marcone

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Treino no estádio municipal, Machadão


O ABC está definido para a partida de amanhã (24) contra o Nacional de Patos em Campina Grande. O treino do alvinegro movimentou a manhã no estádio Machadão. Alguns jogadores machucados não treinaram e a grande novidade com relação ao time que vinha atuando é o atacante Ivan. O jogador ganhou a vaga no sistema ofensivo no apronto desta manhã, comandado pelo técnico Ferdinando Teixeira no estádio Machadão. Ele irá compor o ataque ao lado do Xodó Wallyson.

Fonte: Diário de Natal

Quem é o arbitro da partida Nacional x ABC?

Cláudio Mercante Júnior!
Não sei se lembram dele. Ele apitou Corinthians x A.Parnamirim no Pacaembú, e deixou de expulsar o volante potiguar Luiz Maranhão. Na verdade ele deu 2 cartões amarelos pro cara.
O bandeirinha chegou a alertá-lo do erro, mas ele não voltou atrás.
Cláudio Mercante Junior foi, em seguida, punido pela Comissão Disciplinar do STJD com 30 dias de suspensão.
Esperamos que ele não apronte no jogo de quarta-feira.
Apita pianinho, Cláudio, sem pisar na bola!

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Matemática não funciona no Futebol

Peraí! Matemáticos aparecem para informar que o Barras e o Nacional estão rebaixados, e que Atlético-GO e Bragantinho estão na série B?
Acho que esse pessoal nem fez primeiro grau.
Com apenas 3 jogos já estão fazendo essas previsões? Brincadeira.
O Barras venceu muuuito em casa, em todas as fases da série C (claro que o estádio pequeno ajudava), mas o time era tão bom, que o seu técnico foi contratado pelo time de Parnamirim para ajudá-lo a não afundar tanto.
E o Nacional vem de um empate fora, com o Barras. Vem confiante. Maurício Simões é um técnico guerreiro, experiente. Levou o Treze às semi-finais de uma Copa do Brasil.
Matemática nunca ganhou futebol.
E tem mais. O Bragantino que eles falam, é aquele que só ganhou do ABC em Bragança com um gol de penalty roubado.
E o Atlético-GO? Foi a pior partida do ABC nesse campeonato, e eles não nos venceram? Francamente. Na matemática, quem imaginaria que o Flamengo fosse 6º lugar no Brasileirão? E o que o Botafogo perdesse aquele jogo contra o River, e afundasse tanto na série A?
Se Matemática ganhasse jogo, eu escalaria meus professores Lindenberg, Wharton e Tarcísio no lugar de Wallyson, Juninho e Nêgo. E, claro, Oswald de Souza como técnico!

Gols de ABC 4x3 Bahia

Hospital de Natal salva vida de jogador do Bahia

Após três horas, a cirurgia realizada no apoiador Cléber, do Bahia, chegou ao fim. A operação foi bem sucedida e o atleta está sedado.
Na manhã desta segunda-feira, Cléber foi levado às pressas para um hospital na cidade de Natal, onde o time jogou no domingo, contra o ABC. O jogador amanheceu com forte dor de cabeça e vômitos intensos. Em pouco tempo um exame de tomografia constatou: Cléber havia sofrido um acidente vascular cerebral (AVC).
Segundo o médico do Bahia, Marcos Lopes, o resultado da cirurgia foi positivo, mas só depois que o jogador acordar será possível constatar se houve ou não seqüelas.
- Imaginávamos um quadro ruim. O que salvou Cléber foi o atendimento imediato e a cirurgia realizada rapidamente. Ele ainda está sedado e só vamos poder saber sobre seqüelas depois que ele acordar, mas o risco de vida já é bem menor do que antes, afirmou Lopes.
Por opção tática do técnico Arturzinho, Cléber já não entreva em campo há três partidas. Cléber tem 31 anos e antes de jogar no Bahia já havia atuado em clubes como Coritiba (PR), Grêmio (RS), Portuguesa (SP) e Vitória (BA).

Fonte: LancePress

Seleção da rodada: 4 do ABC

A seleção do FutebolInterior foi econômica com o ABC. Juninho Petrolinha entraria fácil como meia-armador. Sabe quem entrou? Exatamente Elias, que jogou e perdeu contra o ABC. Bom, dessa vez temos 3 jogadores e o técnico Ferdinando Teixeira. Vejam a lista completa:

Goleiro: Ricardo (Nacional-PB): Fechou o gol no empate, por 0 a 0, entre Barras e Nacional, em Teresina-PI. O time da casa bem que tentou, mas o goleiro do Nacional exercitou verdadeiros milagres.

Lateral-direito: Nêgo (ABC-RN): Grande arma ofensiva do ABC. Além de vice-artilheiro do time na Série C, com sete gols, Nêgo é um verdadeiro garçom. Contra o Bahia, foi dele o passe para o quarto gol de Wallyson.

Zagueiro: Alan (ABC-RN): Só pela atuação segura na parte defensiva já merecia uma vaga na Seleção, mas Alan foi além e deixou sua marca em uma cobrança de falta perfeita. Do meio da rua, ele acertou um tirombaço no ângulo do goleiro baiano.

Zagueiro: Jairo (Atlético-GO): Parou Túlio Maravilha, feito raro hoje em dia. Resumiu-me a ficar na cola do artilheiro da alegria e não decepcionou.

Lateral-esquerdo: Paulinho (Bragantino): Não deu espaços à equipe do Crac. Marcou e fechou muito bem o lado esquerdo, o direito do ataque do time goiano, ponto forte dos comandados de Vladimir Araújo. No ataque, ainda arriscou algumas subidas. Mostrou eficiência.

Volante: Jair (Atlético-GO): Entrou no segundo tempo e deu mais força física ao meio-campo do Atlético. Determinado e incansável, Jair apareceu no ataque para marcar o último gol da vitória sobre o rival Vila Nova, por 3 a 1.

Volante: Claudinho Baiano (Atlético-GO): Vem atuando nos últimos jogos como lateral direito, mas é volante de origem e deve voltar à sua posição nas próximas partidas. Contra o Vila, apareceu como um verdadeiro volante que sai para o jogo e abriu o caminho da vitória atleticana, com uma cabeçada certeira.

Meia: Elias (Bahia): Ganhou nova chance como titular e não decepcionou. Armou bem o Bahia, tanto que o ataque marcou três gols, um deles de sua autoria, em cobrança de falta. O problema foi a defesa, que levou quatro.

Atacante: Wallyson (ABC-RN): Dois gols e a artilharia do ABC nesta Série C. Estes foram os números de Wallyson no confronto diante do Bahia. O atacante mostrou frieza na hora da cobrança de um pênalti e muita potência no chute no quarto gol da vitória potiguar.

Atacante: Bill (Bragantino): Muita força física e habilidade com a bola nos pés. Diferentemente de alguns atacantes de times grandes do Brasil, Bill precisou apenas de duas oportunidades para marcar um gol. Na primeira, ele acertou a trave. Na segunda, porém, não teve perdão. A bomba parou somente dentro do gol.

Atacante: Valdir Papel (Bragantino): Parece ter reencontrado o caminho do gol. Marcou seu terceiro gol em três partidas. Mas desta vez, ao contrário das duas anteriores, o gol não veio em cobrança de pênalti. Papel escreveu a obra de arte com a bola rolando.

Técnico: Ferdinando Teixeira (ABC-RN) - foto: Nas duas partidas anteriores, ninguém entendeu o que aconteceu com o ABC. Um empate e uma derrota assustaram a torcida do Mais Querido. No entanto, Ferdinando Teixeira não perdeu o foco, armou e motivou a equipe para o jogo contra o Bahia. Não deu outra: show do ABC, primeira vitória no Octogonal e retomada da confiança.

Quer sentir a emoção de estar no Frasqueirão?

Vídeo do Daniel, ABC 4x3 Bahia

domingo, 21 de outubro de 2007

O jogo de hoje já é passado, vamos pensar no futuro

Até pq são apenas 2 dias para se recuperar para o próximo jogo.
Fatos:
  • Quem tá na frente conseguiu pontos fora de casa: Bragantino com o Barras e o Crac, e o Atlético-GO com o próprio ABC e no clássico com o Vila Nova. E o Bahia também, que venceu o Vila Nova.
  • Isso quer dizer que uma vitória do ABC contra o Nacional é de fundamental importância. Um empate é razoável. Mas uma vitória é o que Ferdinando deve buscar, e não entrar retrancado (como normalmente entra em jogos fora de casa).
  • É preocupante a perna de Juninho Petrolinha. É um grande jogador. O médico do ABC, Dr. Roberto Vital, falou que para ele se recuperar por completo tem que parar por 3 semanas. Mas como não dá tempo, um tratamento mais "paleativo", nos intervalos entre os jogos, é o que está sendo feito. Engraçado que é com jogadores assim de criação que o ABC tem acertado esse ano. Nildo, joelho, Juninho, posterior da coxa...ambos pernambucanos.
  • Vamos em grande número de torcedores para Campina Grande. O amigão vai ser nosso. O Treze é alvi-negro! Tudo ao nosso favor.
  • O Nacional tá tentando "mandar" jogos em Sousa, no Marizão. O presidente do Nacional tá tentando isso junto à CBF. Será que dá tempo para o próximo jogo contra o ABC? Acho q não.
  • O "octogonal" já é alguma coisa para a mídia nacional. Acabei de ver os gols do jogo de hoje no SporTV. Falha da zaga do ABC no primeiro gol (eu avisei que Moré era perigoso), falha de Raniere no segundo e no terceiro, como deixam Nêgo com "aquela altura toda" marcar o atacante...
  • Pelo ataque do ABC, Juninho Petrolina e Wallyson, sempre bem, e que chute de Alan de falta hein?
  • E o Nacional-PB é aquele mesmo que venceu o ABC no Frasqueirão nos preparativos para a série C desse ano, ainda em Junho. Tá na hora do troco.

ABC 4x3 Bahia, resenha do jogo

O jogo de hoje começou a mil por hora e logo em seu primeiro ataque o Bahia surpreendeu e abriu o placar com Moré. Neto Potiguar venceu jogada pela esquerda e cruzou na segunda trave para Moré, livre, cabecear do lado direito de Raniere, calando a frasqueira.
No entanto, o Bahia parou no gol. Com mais volume de jogo, o ABC não se intimidou e partiu para cima. No entanto, tinha dificuldade de furar o forte bloqueio baiano. Assim como no jogo passado, quando foi marcado de perto por Pituca, do Atlético, Juninho Petrolina, principal homem de criação do ABC, recebeu forte marcação de Dudu e não conseguia criar.
Com isso, apesar do maior volume de jogo, o ABC praticamente não obrigou Márcio a fazer nenhuma defesa pelo menos até os 33 minutos, quando Petrolina conseguiu fugir da marcação e empatar a partida. Após boa triangulação entre Fabiano, Wallyson e Petrolina, este último aproveitou cruzamento e tocou para as redes.
O gol marcado acendeu a frasqueira e o time foi para cima. Aos 46 minutos Nêgo cruzou na área, Eduardo subiu e tocou com a mão na bola, para o árbitro Antônio Hora Filho marcar pênalti e expulsar o zagueiro. Na cobrança, Wallyson bateu com direito a paradinha e tudo e virou o placar para o ABC.
No intervalo, o técnico Artuzinho peitou o árbitro reclamando da marcação. "O jogador subiu de costas e ele deu pênalti e ainda o expulsou. Isso é um absurdo", reclamou o treinador.
O segundo tempo começou eletrizante. Em nove minutos, dois gols e uma chance desperidçada. Logo aos três minutos, Nêgo perdeu boa oportunidade de ampliar. Após receber bom passe de Wallyson, ele acertou um petardo na rede pelo lado de fora. A resposta baiana foi fatal. Aos seis minutos, Elias cobrou falta em diagonal, Raniere falhou e a bola morreu nos fundos das redes alvinegra. Três minutos depois a falta foi a favor do ABC. Alan surpreendeu todo mundo e soltou a bomba, marcando um golaço e recolocando o Mais Querido em vantagem.
A vantagem no marcador fez com que Ferdinando mexesse na equipe, promovendo as entradas de Éder e Joassis nos lugares de Rogerinho e Wellington, com intuito de cadenciar mais o jogo. Mesmo com a desvantagem numérica, o Bahia seguia buscando o gol e levava perigo nas bolas paradas.
O jogo seguiu em alta voltagem e aos 27 minutos o Mais Querido chegou ao quarto gol novamente com o xodó da frasqueira, o garoto Wallyson. Após lançamento na área a bola sobrou para o atacante artilheiro e ele arrematou com força para explodir a frasqueira e transformar o placar em goleada.
Brigador, o tricolor baiano seguiu no ataque e em dois lances acertou o poste alvinegro. Primeiro com Dudu cobrando falta e depois com Elias, que após boa jogada acertou uma bomba no travessão. Explorando o desespero baiano, o ABC cadenciava o jogo e ainda levava perigo nos contragolpes, quase ampliando a goleada aos 41, quando Nêgo obrigou Márcio a fazer bela defesa.
No final do nervoso e movimentado jogo, ainda deu tempo para três expulsões e um gol. Pelo lado do natalense, Antônio Hora Filho expulsou Fabiano e Éder e pelo baiano Rogério foi para o chuveiro mais cedo. Nos acréscimos, aos 50 minutos, Harley chutou da entrada da área e descontou para o tricolor baiano, dando números finais ao jogo.
"Foi uma vitória importante, que nos deixa na cola dos primeiros colocados. Apagamos a má impressão deixada no meio de semana e agora vamos nos preparar para o jogo contra o Nacional na quarta e tentar mais três pontos", afirmou o goleiro Raniere.

Foto: Frankie Marcone
Texto: Diário de Natal

Todos ao Frasqueirao!

Hoje eh dia de vitoria. Hoje eh dia de show de Wallyson.
O Bahia ja sabe como perder no Frasqueirao.
Eles tambem nao terao a zaga titular, Allison nao joga, machucado.
Vamos infernizar Artuzinho.
Vamos subir ABC!

sábado, 20 de outubro de 2007

Arbitragem para ABC x Bahia

Antônio Hora Filho é quem vai apitar ABC x Bahia, no próximo domingo, no Frasqueirão. A escalação do sergipano é um bom sinal para os torcedores alvinegros. Hora Filho já apitou vários jogos em Natal e que eu me lembre, nunca complicou. É um árbitro da Fifa e carrega a responsabilidade de ser totalmente imparcial, já que trata-se de um clássico regional.

Do blog de Fábio Pacheco

ABC e Bahia desfalcados

O ABC não irá com Bruno Lourenço, punido com o terceiro cartão amarelo.
Mas o Bahia não poderá contar com 3 titulares: Fausto desfalcará a equipe, líder do octogonal decisivo da terceirona com seis pontos após as duas primeiras rodadas. O atacante Nonato também precisará cumprir mais duas partidas de pena a partir de julgamento no STJD, enquanto o lateral-esquerdo Adilson recebeu o terceiro cartão amarelo no triunfo por 3x2 sobre o Vila Nova-GO.
Fausto é aquele de deu muito trabalho antes de ser substituído no último confronto entre ABC e Bahia, no Frasqueirão.
Mas Moré, substituto de Nonato, tá dando conta no ataque. Precisamos marcá-lo bem.
Fabiano, Alisson e Peu são as opções de Ferdinando Teixeira para o lugar de Bruno.

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Seleção da rodada - Série C

O site FutebolInterior divulgou mais uma seleção da rodada (segundo eles), na série C. O nosso goleiro Raneire aparece nela.
Além de Raneire, Nêgo já chegou a aparecer na lista no final da fase anterior.
A lista é boa para o ABC se atentar aos melhores jogadores de cada time.
Vamos aos jogadores:

Goleiro: Ranieri (ABC-RN): Tudo bem que o gol salvador saiu da cobrança de pênalti de Walysson, aos 43 minutos do segundo tempo, mas se não fosse Ranieri, na primeira etapa, apenas o gol de Walysson não bastaria. O goleiro fez pelo menos duas defesas milagrosas.
Lateral-direito: Dede (Crac-GO): É o fator surpresa do Crac. Apóia com muita facilidade e não compromete na marcação. Contra o Nacional, foi presença marcante no ataque.
Zagueiro: Rafael (Atlético-GO): É o ponto de referência do Atlético. Não sentiu a pressão de jogar no Frasqueirão, e anulou bem quase todos os ataques do ABC.
Zagueiro: Renato (Crac-GO): Além de fazer muito bem a sua parte na defesa, achou tempo para subir ao ataque e deixar sua marca na goleada sobre o Nacional. Zagueiro de grande potencial.
Lateral-esquerdo: Leandro (Barras-PI): Apareceu como elemento surpresa no gol do Barras. Após cobrança de falta, surgiu como um foguete e completou para o fundo das redes. No entanto, o lance não foi o único que Leandro apareceu no ataque.
Volante: Somália (Bragantino): Correu o jogo inteiro e não desistiu de buscar o empate em nenhum momento. No lance do gol, cobrou falta com perfeição, na cabeça de Bill. Na última noite, foi o pilar do Braga.
Meia: Dudu (Bahia): Entrou no lugar de Elias e não decepcionou. No gol da vitória, sua intenção era levantar a bola na área, mas como entrou iluminado, acabou marcando e fazendo a alegria da imensa torcida do Bahia.
Meia: Ronildo (Crac-GO): Voltou a ser o maestro do time. Totalmente recuperado de uma contusão que o incomodava há algum tempo, Ronildo comandou praticamente todas as ações ofensivas do Crac, e ainda marcou um lindo gol.
Meia: Bill (Bragantino): Estava com a estrela. Bill mostrou grande impulsão ao ganhar do goleiro do Barras para empatar a partida e manter o Bragantino na zona de acesso.
Atacante: Moré (Bahia): Revelado nas categorias de base do Bahia, Moré já passou por diversas dificuldades no clube, quase foi para o futebol do exterior, mas soube dar a volta por cima e, na falta do goleador Nonato, tratou de fazer gol, ou melhor, gols. Fez dois na vitória sobre o Vila e deve ser mantido, com toda justiça, no time titular.
Atacante: Túlio Maravilha (Vila Nova-GO): Abre o olho, Dunga! Quantos gols têm Vágner Love ou Afonso na carreira? Muito menos que Túlio Maravilha, que, com os dois sobre o Bahia, chegou aos 805 gols. Apesar da idade, quem disse que não tem uma vaga para o artilheiro da alegria na Seleção, que pela primeira vez em tempos não tem um atacante de respeito. Túlio Maravilha na Seleção.
Técnico: Arturzinho (Bahia): Foi criticado por armar o Bahia com cinco zagueiros para o confronto contra o Vila. Como todo bom profissional do futebol, a resposta de Arturzinho veio dentro de campo. 3 a 2 fora de casa, 100% de aproveitamento e liderança garantida.

Melhores momentos do Jogo

Pode-se perceber alguns fatos:
- Faltou pontaria para os atacantes do ABC, Wallyson inclusive (gosto de cutucar o garoto, pq quando ele é cutucado, ele reage jogando bem melhor no próximo jogo).
- O primeiro lance do jogo, a excelente jogada de Nêgo, era pra ter saído o gol. Mas, Miro Bahia cabeceou (quase) certo, pra baixo, como manda a cartilha. Só não era pra ser tanto pra baixo...
- O juiz não marcou muitas faltas para o ABC, inclusive aquela que Nêgo levou no segundo tempo, sendo jogado pra fora do campo.
- Por outro lado, Raniere defendeu bem o ABC. E no gol deles, a defesa vacilou feio, duas vezes: na perda da bola e no rebote de Raniere.
- Com relação ao esquema tático do ABC, já falei no blog passado.

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

ABC 1x1 Atlético-GO

O campeonato começou a pouco, duas rodadas apenas, faltam 12.
Agora, os problemas que eu citei no blog passado ainda persistem: o companheiro de Wallyson não se acertou ainda; e com Juninho Petrolinha marcado, ficamos sem muita criação.
Ferdinando teixeira tem que ser mais ousado. O 3-5-2 funciona se os 2 do ataque jogam entrosados, e não é o caso. Na verdade não é nem falta de entrosamento, e sim falta de técnica.
Se o 3-5-2 não funciona bem, o 3-6-1 pode ser usado, como ele mesmo fez na partida de hj, quando tirou Miro Bahia e colocou Éder.
Novamente, o campeonato apenas começou, mas esses ajustes precisam ser feitos agora.
Vamos pra cima, sem medo. Sem medo mesmo! Até Ivan aprontou hj...
Isso quer dizer que não tem bicho papão nessa fase. O líder é o Bahia que a gente já bateu, olha só!
Wallyson tem jogado mais e melhor com Fábio Silva? Então põe Fábio Silva.
Vamos, vamos subir ABC!

ABC 1x1 Atlético-GO
Público pagante: 10.614
Renda: R$ 95.950,00

Todos os caminhos levam ao Frasqueirão

Hoje tem espetáculo sim. Com a Frasqueira em cima, o ABC é invicto, 100% Tem esse negócio de Atlético-GO não...
O ABC tem jogado bem. A zaga muito boa, mas tem que tomar cuidado com penaltis duvidosos. O meio de campo marcador, com Adelmo e companhia, tem que segurar os bons jogadores de Goiás. Tarefa também pros nossos alas, Nêgo e Rogerinho.
O que sempre me preocupou, no time do ABC, foram o meio campo de criação e o ataque.
O meio de campo, quando Juninho Petrolinha joga, é uma coisa, quando não joga, é outra. Éder tem que entrar no mesmo ritmo de Juninho, sempre. Parece que isso não aconteceu em Bragança Paulista.
E o ataque temos o problema do companheiro de Wallyson.
No estadual, Bebeto era esse cara. E os 2 juntos eram um inferno pra zaga do outro time. Com a saída de Bebeto, ainda não acertamos com esse segundo atacante.
E vejam como Bebeto era importante: hj, ele faz dupla de ataque com Val Baiano no Gama. Val baiano é artilheiro isolado da Série B, e Bebeto também tem feito muitos gols, pois é o segundo artilheiro do Gama. E Val Baiano perde a mesma quantidade em gols que faz, Bebeto deixa ele sempre com a bola na cara do gol. Se fosse Wallyson no lugar de Val, não seriam 22 gols, seriam 44!!
Ou seja, Val Baiano só é artilheiro por causa de Bebeto!
Fábio Silva e Miro Bahia disputam essa vaga, e só em cima da hora Ferdinando vai divulgar isso.
Vamos atrás dessa vitória hj!
Vamos subir ABC!

ABC: Ranieri; Bruno Lourenço, Allan e Ben-Hur; Nego, Adelmo, Wellington, Juninho Petrolina e Rogerinho; Wallyson e Fábio Silva (Miro Bahia). Técnico: Ferdinando Teixeira

Atlético/GO: Márcio; Claudinho Baiano, Rafael, Jairo e Maykon; Pituca, Robson, Lindomar e Anaílson; Rivaldo e Marquinhos. Técnico: Sérgio Alexandre

Estádio: Frasqueirão
Hora: 20h30 (Horário de Natal). Às 21h30 horário de Brasília/verão
Árbitro: Antônio André Rodrigues de Souza (PE)
Assistentes: Ubirajara Ferraz Jota e Albino Andrade Albert Júnior (PE)

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Time quase completo para o jogo de quinta

O ABC pode ganhar um importante reforço para a partida de quinta-feira, às 20h30, contra o Atlético-GO válida pela segunda rodada do octogonal final da Série C. O meia Juninho Petrolina, que desfalcou o time na partida em Bragança Paulista, treinou normalmente nesta terça e deve ser confirmado no meio-campo alvinegro. A carga de 12.400 ingressos deve ser comercializada a partir desta quarta.
A boa notícia para a Frasqueira nesta terça ficou por conta do meia Juninho Petrolina. Um dos destaques da equipe, ele participou normalmente do treino bitoque e deve ficar à disposição de Ferdinando. "O Juninho se recuperou bem da contusão no músculo adutor da coxa esquerda, treinou bem e se nada sentir no apronto de quarta ficará apto a jogar na quinta", explicou o médico alvinegro Roberto Vital.
Nesta quarta, Ferdinando irá comandar o último treino antes da partida contra os goianos. O treinador vai aproveitar para acertar o posicionamento. "Viemos de dois jogos fora de casa. Agora vamos arrumar o time, ajeitar o posicionamento para chegarmos bem neste grande e difícil jogo", afirmou o técnico. Apesar da volta de Petrolina, o técnico ainda não definiu o onze que entrará em campo na quinta. "Vou aproveitar a movimentação para também testar opções, devo mexer pelo menos em duas posições", adiantou o técnico, que não revelou os setores, mas tudo indica que seja no meio-campo e no ataque.
A única ausência para quinta ficará por conta de Jean, que ainda se recupera de lesão. A partir desta quarta, ele será submetido a um trabalho de reforço muscular e deverá voltar aos gramados a partir da quarta rodada do octogonal.

Fonte: Diário de Natal

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Com ABC x América hoje, Frasqueirão completa 50 jogos

O clássico de hoje será o qüinquagésimo jogo da história do Estádio Maria Lamas Farache. Inaugurado em janeiro de 2006, o Frasqueirão já foi palco de grandes jogos, como a final do Estadual deste ano e jogos da Copa do Brasil, onde se apresentaram Flamengo e Fluminense. Outro destaque do estádio do ABC é o atacante Wallyson, maior artilheiro com catorze gols marcados. Confira os principais números do Frasqueirão:

Total de jogos: 49
Vitórias dos mandantes: 26
Vitórias dos visitantes: 12
Empates: 11
Total de gols: 158
Gols dos mandantes: 92
Gols dos visitantes: 66

Principais artilheiros

14 gols: Wallyson (ABC)
07 gols: Ivan (ABC)
07 gols: Fábio Silva (ABC)
06 gols: Nêgo (ABC)
06 gols: Paulo Isidoro (América)
06 gols: Geovane (América)

Total de renda: R$ 2.539.345,00
Jogos como base: 47
Média por jogo: R$ 54.029,00

Total de público: 223.455
Jogos como base: 47
Média de público: 4.754

Maior renda: R$ 227.350,00 no jogo ABC 0x1 Flamengo no dia 22/03/2006
Menor renda: R$ 1.835,00 no jogo ABC 3x3 Coríntians no dia 16/04/2006

Maior público: 13.487 no jogo ABC 2x1 Bahia no dia 03/10/2007
Menor público: 367 no jogo ABC 3x3 Coríntians no dia 16/04/2006

Árbitros que mais apitaram

04 jogos: Charles Eliont de Freitas
03 jogos: João Alberto Gomes Duarte
03 jogos: Valdick Leão de Oliveira
03 jogos: Paulo Jorge Rodrigues Brandão Figueira

Clubes que mais jogaram

38: ABC
10: América
06: São Gonçalo
05: Potiguar de Parnamirim
04: ASSU
04: Coríntians
04: Potiguar de Mossoró
03: Alecrim
03: Santa Cruz (RN)
02: Baraúnas
02: Potyguar de Currais Novos

Tipo dos jogos

26: Campeonato Estadual
09: Série C
07: Amistoso
04: Copa RN
03: Copa do Brasil

Clubes que mais venceram

23: ABC
06: América
02: Potiguar de Mossoró

Clubes que mais empataram

08: ABC
02: Alecrim
02: São Gonçalo
02: Potiguar de Mossoró
02: América

Clubes que mais perderam

07: ABC
04: Potiguar de Parnamirim
03: São Gonçalo
02: ASSU
02: Santa Cruz (RN)
02: América

Clubes que ainda não perderam

Potiguar de Mossoró
Flamengo (RJ)
Campinense
Fluminense (RJ)
Nacional de Patos

Vitórias dos mandantes

22: ABC
03: América
01: São Gonçalo

Vitórias dos visitantes

03: América
02: Potiguar de Mossoró
01: Potiguar de Parnamirim
01: Flamengo (RJ)
01: Fluminense (RJ)
01: Coríntians
01: ASSU
01: ABC
01: Nacional de Patos

Clubes que mais marcaram gols

79: ABC
25: América
08: Potiguar de Mossoró
07: ASSU
07: Potiguar de Parnamirim

Placares que mais se repetiram

2x1 saiu nove vezes
1x0 saiu oito vezes
2x0 saiu seis vezes
1x1 saiu cinco vezes

Fonte: Marcos Trindade/Rádio Clube de Natal

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Gol do Bragantino

Esse vídeo mostra alguns lances do jogo ABC e Bragantino. Não mostra o lance do penalty, mas da pra ver que Raniere foi na bola e quase defendeu o único gol da partida.

Resenha do jogo: Bragantino 1x0 ABC

Em um cenário incomum em jogos de futebol, Bragantino e ABC fizeram uma partida de portões fechados devido a uma punição sofrida pela equipe paulista por uma invasão de campo no jogo contra o Roma-SP, ainda pela primeira fase da competição.
Mesmo sem torcida, o primeiro tempo de partida prometia muita movimentação devido à velocidade e a disposição dos jogadores no início, mas a falta de criatividade do meio campo das duas equipes resultou em pouco trabalho para os dois goleiros nos 45 minutos iniciais.
O empate sem gols parecia ser o placar mais provável ao final da primeira etapa de jogo, mas esse panorama mudou após a marcação de um pênalti duvidoso do zagueiro Bruno Lourenço sobre o jogador David, aos 39 minutos. Valdir Papel cobrou a penalidade e colocou os paulistas à frente no placar e o primeiro tempo terminou sem maiores emoções.
Na volta para a etapa final, o Bragantino começou melhor e aos 9 minutos, quase ampliou o placar, mas após conclusão do ataque paulista, a bola tocou a trave, correu sobre a linha do gol e o zagueiro Bruno Lourenço conseguiu impedir o que seria o segundo gol da equipe adversária.
Os donos da casa seguiam bem melhores na partida e pressionavam os visitantes. O ABC tentava fugir através dos contra-ataques, mas não oferecia perigo.
Para tentar mudar o resultado da partida, o técnico Ferdinando Teixeira fez mudanças na equipe. Primeiro substituiu Wallyson por Miro Bahia, depois sacou Wellington e Rogerinho para as entradas, respectivamente de Lau e Rodriguinho.
As substituições renderam uma pequena melhora, e uma delas, quase resultou no empate em jogada de Rodriguinho, que mandou um chute potente da intermediária e viu a melhor e última chance do Alvinegro na partida parar no travessão do goleiro Gléguer.
O ABC volta a campo na próxima quinta-feira (18), no Frasqueirão, quando enfrenta o Atlético-GO. No mesmo dia, o Bragantino joga fora de casa contra a equipe do Barras-PI.

Ficha técnica

Local: Estádio Marcelo Stéfani
Árbitro: Célio Amorim-SC
Cartões Amarelos: Cris, César Gaúcho, Niander (Bragantino); Alan, Bruno Lourenço, Welligton (ABC)
Cartão Vermelho: Cris (Bragantino)
Bragantino: Gléguer; Somália, Vanderlei, Cris, Da Silva e Paulinho; Mário, César Gaúcho e André Gaspar (Niander); Davi (Santos) e Valdir Papel. Técnico: Marcelo Veiga
ABC: Raniere; Ben-Hur, Alan e Bruno Lourenço; Nêgo, Adelmo, Wellington (Lau), Éder e Rogerinho (Rodriguinho); Wallyson (Miro Bahia) e Fábio Silva. Técnico Ferdinando Teixeira

Fonte: Tribuna do Norte

sábado, 13 de outubro de 2007

1000 pessoas vão assistir o jogo do lado de fora

Como o Bragantino foi punido, clube vai colocar telões do lado de fora.
Aqueles que quiserem acompanhar Bragantino x ABC terão a opção de fazê-lo na rua, em frente ao estádio. A diretoria do Bragantino, com o aval da Prefeitura, autorizou que a FM 102 e a TV Altiora transmitam som e imagem, respectivamente, e de forma simultânea, do que estiver acontecendo dentro do campo. Estas imagens serão geradas somente em frente ao estádio, em telões que serão instalados. A expectativa é de que pelo menos mil pessoas estejam presentes acompanhando esta inédita iniciativa.

Fonte: Jornal Diário

Jogo para trazer pontos

Hoje comeca a ultima fase da principal jornada abcdista dos ultimos 5
anos. Wallyson joga e Eder entra no lugar de Petrolina. A defesa vai
completa.
Acredito muito no ABC.
O Bragantino comecou a serie c com Roberval Davino e agora tem Veiga,
ambos treinadores conhecidos.
O nosso time vai confiante e eu tambem. Pensei em ir a Braganca, mas
os portoes fechados me impediram. Sem problema. O importante eh uma
Vitoria do Mais Querido. Vamos subir ABC.

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Resumo dos 8 times da série C

Peguei isso no site Correio da Bahia. Tem algumas distorções, mas faz um bom resumo dos times do Octogonal da série C:

Classificado de forma dramática para o octogonal final da Série C, o Bahia tem a melhor campanha entre os oito times que lutarão por quatro vagas à Série B em 2008. Em 18 partidas, o time baiano somou 39 pontos, aproveitamento de 72%, e ilustra bem o bom desempenho dos times nordestinos nas três primeiras fases da competição.

A região classificou metade dos times que lutarão pelo acesso: Bahia, ABC, do Rio Grande do Norte, Barras, do Piauí, e Nacional, da Paraíba. O Centro-Oeste entra com três times, todos goianos: os tradicionais Vila Nova e Atlético e o ascendente Crac. O Sudeste tem apenas o Bragantino, dos 14 times da região que iniciaram a disputa, enquanto as regiões Sul e Norte ficaram sem representante na fase final.

Com o gol de Charles, aos 50 minutos do segundo tempo, o Bahia venceu o Fast por 1x0, conseguiu sua vaga e também superou o ABC como time de melhor campanha – os potiguares, que foram melhores na terceira fase, somam 38 pontos.

O melhor time da terceira etapa foi o Crac, que conquistou 14 dos 18 pontos possíveis e somou, ao todo, 34 pontos – atrás também do Barras, com 35. Em campo, o Bragantino é o pior dos oito finalistas: somou 29 pontos de 48 possíveis, 60% de aproveitamento. O Nacional tem 26 pontos, mas perdeu seis por uso de um jogador irregular, o zagueiro Wescley, na segunda fase. Assim como o Bahia, o time paulista também só se classificou na última rodada, com um empate sem gols diante do Crac, em Catalão.

***

Destaque do Crac saiu do Conquista

Marcelo Sant’Ana

Primeiro adversário do Bahia no octogonal, o Crac-GO tem como destaque o atacante Danilo Santos, artilheiro do time na Série C com seis gols, ao lado de Tico Mineiro. Revelado pelo Vitória da Conquista, conquistou o título e a artilharia do Baiano da segunda divisão, ano passado.

Este ano, Danilo Santos teve rápida passagem pelo Juventus-SC. Não se firmou e voltou a Conquista. Como o alviverde não teria competição alguma no segundo semestre, foi emprestado para a disputa da Série C. Outro conhecido é o zagueiro Laerte, ex-Bahia.

A campanha do Crac registra 10 vitórias, quatro empates e quatro derrotas. Invicto na terceira fase, classificou-se com duas rodadas de antecedência. São 26 gols marcados e 14 sofridos. Segue invicto também como mandante: seis triunfos e dois empates. Na segunda fase, Nestor Simionato foi substituído pelo treinador Vladimir Araújo.

No final de setembro, a diretoria exigiu outra vistoria do Corpo de Bombeiros ao estádio Generviso da Fonseca. O motivo era a exigência no regulamento da Série C de estádios com capacidade mínima para 10 mil pessoas na fase final. O novo laudo, anexado a documento da Polícia Militar e encaminhado à Federação Goiana, aponta capacidade para 10.583 pessoas. Caso a CBF rejeite o laudo, o clube de Catalão, provavelmente, atuará na capital Goiânia, cidade a mais de 500km da sede administrativa.

Time-base: Dênis, Dedé, (Rodrigo) Renato, Laerte e Luiz Cláudio; Beto, Jackson, Marcinho Mossoró e Marcelinho; Tico Mineiro e Danilo Santos.
Treinador: Vladimir Araújo.
Mando de campo: Estádio Genervino da Fonseca, com capacidade para 10.583 pessoas.

***

Bragantino tenta recuperar prestígio

O Bragantino-SP conquistou sua vaga ao octogonal da Série C, na última rodada, com um empate sem gols com o Crac-Go, fora de casa. Somou os mesmos sete pontos da Ulbra-RS, contudo, levou vantagem no saldo de gols (0 a -2). Seu rebaixamento à Série C aconteceu em 2002.

No campeonato, são nove vitórias, dois empates e sete derrotas, com 25 gols pró e 19 gols contra. A classificação na terceira fase esteve em risco até a última rodada, depois de três derrotas seguidas.

Em 2006, o clube perdeu a final da Copa FPF. Neste ano, surpreendeu como semifinalista do Paulista. Contudo, houve mudanças e os destaques na campanha estadual foram contratados pelo Corinthians: Felipe, ex-goleiro do Vitória, o zagueiro Zelão e o atacante Everton Santos.

O treinador Marcelo Veiga assinou com o América-RN, porém a pífia campanha na Série A facilitou o retorno a Bragança Paulista, saindo Roberval Davino. Como jogadores conhecidos, o goleiro Gléguer e Valdir Papel, ex-Vitória.

O alvinegro conquistou o título paulista de 1990, e, no ano seguinte, foi vice-campeão brasileiro. O time era treinado por Vanderlei Luxemburgo e tinha como destaque o volante Mauro Silva.
Time-base: Gléguer; Somália, Cris, Tiago Vieira, Wanderley e Paulinho; Mário, César Gaúcho e André Gaspar; Valdir Papel e Davi.
Treinador: Marcelo Veiga.
Mando de campo: Estádio Marcelo Stefani, com capacidade para 16 mil pessoas. (MS)

***

Barras faz história no Piauí

Nunca um time do Piauí chegou tão longe na Série C do Campeonato Brasileiro. Méritos para o Barras, fundado há três anos e vice-campeão estadual em 2007, que pode fazer mais história caso conquiste o inédito acesso à Série B.
Problema será a transferência do mando de campo. Como o Estádio Juca Fortes tinha capacidade para apenas cinco mil pessoas, as partidas no octogonal vão acontecer em Teresina, na praça esportiva Alberto Silva, o Albertão, com capacidade para 60 mil pessoas.

A campanha do Barras tem entusiasmado tanto a população local que, ontem, foi aprovado voto de louvor, na Assembléia Legislativa, ao clube devido à excelente divulgação do nome do estado. São 10 triunfos, cinco empates e apenas três derrotas: 32 gols marcados e 19 sofridos.

O destaque do time é o atacante Pantico, que esteve no Vitória durante o Campeonato Baiano, contudo, acabou logo dispensado. O atual treinador é Flávio Araújo, vice-campeão cearense em 2007 com o Icasa. Ele substituiu Paulo Moroni, contratado pelo América-RN.
Time-base: Isaías; Niel, Laércio, Serginho e Pantera; Montanha, Luciano, Felipe e Antonio Carlos; Janiel e Pantico.
Treinador: Flávio Araújo.

Mando de campo: Estádio Amigão, capacidade para 60 mil pessoas. (MS)

***

Túlio Maravilha comanda Vila Nova

Rebaixado à Série C no ano passado, o Vila Nova-GO é o adversário com maior número de conhecidos do futebol baiano. Vice-artilheiro da Série C com 13 gols, Túlio Maravilha chefia tropa que tem ainda: Possato, Juninho Cearense e Alex Oliveira, trio ex-Bahia; e Elvis, ex-Vitória.
Três vezes artilheiro do Campeonato Brasileiro – 1989 (11) pelo Goiás, 1994 (19) e 1995 (23), pelo Botafogo –, Túlio persegue o gol 800 na carreira. Nas suas contas, fez 798 gols.

A classificação do alvirubro ao octogonal veio com duas rodadas de antecedência, após empate por 2x2 no clássico goiano com o Atlético. Aliás, o treinador do Vila Nova, Artur Neto, comandou o Atlético nos últimos dois anos e conquistou este ano o título Goiano. Ele assumiu a equipe na segunda fase, após a demissão de Sérgio Cosme, e sustenta invencibilidade de sete jogos.

O Vila Nova-GO venceu 10 partidas, empatou quatro e perdeu igual número de vezes. São 32 gols marcados e 21 sofridos.
Time-base: Fabiano Oliveira; Michel, Henrique, Vitor e Xavier; Álisson, Heleno, Alexandre (Élvis) e Alex Oliveira; Juninho Cearense e Túlio Maravilha.
Treinador: Artur Neto.

Mando de campo: Estádio Serra Dourada, com capacidade para 54 mil pessoas. (MS)

***

ABC busca acesso após seis anos

Rebaixado da Série B em 2001, o ABC confia no acesso. Maior campeão estadual do Brasil, manteve a base que conquistou seu 49º Campeonato Potiguar. Os pilares do renascimento do clube são o Estádio Frasqueirão, em Natal, inaugurado em 22 de janeiro de 2006, e o investimento nas categorias de base. O Centro de Formação inaugurado em junho tem dois campos, alojamento para atletas das categorias sub-15, sub-17 e sub-20, refeitório, sala de musculação e área de lazer.

Os destaques são o lateral-direito Nêgo, artilheiro do clube com oito gols, e o atacante Wallyson, que empurrou o Bahia para a beira da eliminação marcando duas vezes. Ele já foi negociado ao Atlético-PR por R$ 600 mil e deixa o ABC depois da Série C. A trajetória tem 12 vitórias, dois empates e quatro derrotas: 29 gols marcados e 18 sofridos.
Time-base: Ranieri; Alison, Bruno Lourenço e Bem-Hur; Nêgo, Adelmo, Jean, Juninho Petrolina e Rogerinho; Fábio Silva e Wallyson.

Treinador: Ferdinando Teixeira.
Mando de campo: Estádio Maria Lamas Farache (Frasqueirão), com capacidade para 18 mil pessoas. (MS)

***

Nacional distante de Patos

O Nacional-PB vai mandar suas partidas na fase decisiva da Série C no Estádio Amigão, localizado em Campina Grande. O mando de campo natural, a praça esporiva José Cavalcanti, em Patos, abriga, no máximo, sete mil pessoas e o regulamento do campeonato, no Artigo 11, cobra capacidade mínima de 10 mil espectadores, além de vetar arquibancadas provisórias.

A medida entristeceu a população local, embora o treinador Maurício Simões, bicampeão paraibano com o Treze, em 2005/06, aposte no carisma com a torcida de Campina Grande para produzir um novo caldeirão. Simões assumiu o Nacional-PB na segunda fase, substituindo Luís Carlos Mendes.

Na segunda fase, quando integrava o grupo do Bahia, a equipe foi punida no STJD com a perda de seis pontos por escalar irregularmente o zagueiro Wescley. Mesmo assim, os resultados dentro de campo garantiram o segundo lugar no grupo, que tinha ainda Linhares-ES e Atlético-PB.

Time-base: Dida; Dinho, Nunes, Wescley e Mercinho; Raminho, Rogério Costa, Gil e Lamar; Paulinho Guerreiro e Buick. (MS)

***

Atlético manteve base campeã

O Atlético-GO, líder de seus grupos nas duas primeiras fases, não teve facilidade para garantir sua vaga no octogonal. Na última rodada, empatou por 1x1, no Serra Dourada, com o Villa Nova-MG, em duelo direto pela vaga.

Após surpreender o Goiás e faturar o título estadual, perdeu o treinador Artur Neto para o Remo e o artilheiro Romualdo para o Ceará. Contudo, manteve outros destaques, por exemplo: Márcio, ex-goleiro do Bahia, o zagueiro Jairo e o volante Pituca, através de acordo com o Brasiliense, além do meia-atacante Anaílson, ex-São Caetano. Jair, ex-volante do Bahia, é reserva.

Na Série C, a campanha registra nove triunfos, seis empates e três derrotas. Marcou 26 gols e sofreu 14. Na terceira fase, apesar do sufoco, o time passou invicto, ganhando uma partida e empatando cinco.
Time-base: Márcio; Dida, Jairo, Rafael e Maicon; Rodrigo Silva, Robston, Claudinho Baiano e Anailson; Rivaldo e Marquinhos.

Treinador: Sérgio Alexandre.
Mando de campo: Estádio Serra Dourada, com capacidade para 54 mil pessoas. (MS)

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Torcida de Campina Grande pode vir a torcer pelo ABC

Lá em Campina Grande a confusão tá formada. Como o Nacional não pode jogar em Patos por causa do regulamento (estádio mais de 10mil assentos), eles vão jogar em Campina Grande.
E isso, por lá, já tá criando problemas.
O Treze é alvinegro, é rival do Nacional, podemos ter uma boa torcida por lá. Somos vizinhos e somos o time mais próximo.
A mesma coisa aconteceu em Caruaru. Quando chegamos lá, no jogo contra o Central, fomos bem recepcionados pela torcida do Porto, e até se juntaram a torcida da Frasqueira que foi ao estádio. Engraçado que na fase seguinte jogamos contra o mesmo Porto!
Leiam a matéria do site FutebolInterior:

Patos, PB, 09 (AFI) – O torcedor Ítalo Salomão, representante da torcida Comando Alviverde do Nacional de Patos, foi até o 3ª Batalhão da Policia Militar de Patos e pediu ao Coronel Guimarães segurança no jogo de sábado, quando o Nacional enfrentará o Vila Nova, no Estádio Amigão, em Campina Grande, pela primeira rodada do Octogonal da Série C.
Como o Nacional não vai poder utilizar seu estádio para esta partida, a diretoria do time decidiu jogar no estádio do rival, o Treze de Campinas Grande. E isso gerou insatisfação na torcida do Treze, que de acordo com Ítalo, deixaram mensagens no Orkut (site de relacionamento), afirmando que o “Pau vai comer” se os torcedores no Nacional forem até a cidade.
Ainda de acordo com o torcedor, as mensagens não foram direcionadas a sua pessoa, mas sim aos torcedores nacionalinos que decidirem ir à Campina Grande. Em uma entrevista a uma rádio local ele disse que vai pedir ao comando da PM de Patos, um maior número de viaturas e policiais que possam melhorar a segurança da viagem.

terça-feira, 9 de outubro de 2007

ABC joga sábado à noite contra o Bragantino

A CBF digulvou ontem à noite a nova tabela do octogonal da série C. O jogo do ABC, anteriormente marcado para domingo, fica agora para sábado, juntamente com outros 2 jogos. Apenas o Bahia x CRAC está confirmado para o domingo.
Veja a primeira rodada:

13/10 - 18:00
Bragantino-SPxABC-RN
13/10 - 17:00
Atlético-GOxBarras-PI
13/10 - 20:30Nacional-PBxVila Nova-GO
14/10 - 16:30
Bahia-BAxCRAC-GO


A tabela completa está em: http://www2.uol.com.br/cbf/destaques/tabelacoctogonal07.htm

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

ABC absolvido, dessa vez

Mais uma vez nos livramos de uma punição. Que sirva de exemplo.
Já é a segunda vez que somos julgamos por perda de campo, no mesmo campeonato.
E dessa vez teve o agravante do maluco policial que botou a boca no trombone sobre a possível "falta de segurança" do Frasqueirão.
No direito, essas coisas são cumulativas, já somos reincidentes.
Vamos nos policiar para coibir de vez esse tipo de coisa.
O Bragantino foi punido, perdeu o campo contra o ABC, que bom.
O Barras, Nacional e outro time que não me lembro também não vão jogar nos seus campos habituais, pois eles possuem menos de 5mil (ou 10mil?) lugares, coisa que o regulamento não permite, e vão jogar em Teresina e Campina Grande (Amigão) respectivamente.
Somos um dos poucos times que jogarão em um alçapão.
Não podemos perder isso, não podemos perder essa chance de subir. Tá tudo a nosso favor.

Bragantino x ABC de portões fechados

Começo a ver que foi excelente a classificação do ABC em primeiro do grupo 25. Anexei a esquerda o resultado do dia 04/10/2007 do STJD, e abaixo está a matéria do Jornal Diário, de Bragança Paulista:

Depois de ter sido absolvido em julgamento na Terceira Comissão Disciplinar do STJD, naquele caso envolvendo incidentes após a partida contra o Roma, ainda na segunda fase da Série C, o procurador desta comissão entrou com um recurso voluntário (processo 194/07) contra tal decisão. Um novo julgamento, realizado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva, comandado pelo Dr. Rubens Approbato Machado, aconteceu na noite da última quinta-feira (julgamento terminou as 20h11), e o Bragantino acabou punido.
Por 3 votos a 2, a equipe de Bragança foi multada em R$ 10 mil e ainda perdeu o mando de uma partida. Caso venha a se classificar, o primeiro jogo da quarta fase, domingo dia 14 de outubro, deverá acontecer no ‘Marcelo Stefani’, mas sem a presença do torcedor, ou seja, com os portões fechados.
Votaram a favor do Bragantino o relator Dr. José Mauro Couto de Assis, e o auditor Dr. Paulo Valled. Os votos contrários foram dos auditores Dr. Eduardo Machado e Dr. Marcílio Krieger, e do presidente Dr. Rubens Approbato Machado. A defesa do Bragantino foi feita pelo advogado Dr. Paulo Rubens.

Fonte: http://www.bjd.com.br/detalhe_noticias.php?codigo=16271

domingo, 7 de outubro de 2007

ABC 0x0 Rio Branco, resenha do jogo


Capa do Jornal O Rio Branco

Empurrados pela sua torcida, que lotou as dependências do estádio Arena da Floresta, e precisando da vitória para garantir a classificação, o Rio Branco iniciou a partida partindo para cima do ABC. Com menos de sete minutos, o goleiro Aloísio já foi exigido pelo menos por duas vezes, sendo que na segunda foi obrigado a praticar boa defesa. Aos 11 minutos, o árbitro fulano de tal marcou pênalti inexistente do goleiro Aloísio, que num lance normal chocou-se com o adversário na área. Na cobrança, Testinha bateu mal e a bola foi na trave, calando a grande torcida do Rio Branco. Marcando bem e forte no setor de meio-campo, o ABC conseguia segurar os donos da casa e aos poucos foi chegando ao ataque. Aos 27 minutos, veio aprimeira oportunidade. Marciano cruzou na área, mas Rodriguinho, livre, cabeceou mal para o gol. Dez minutos depois, foi a vez de Clênio jogar fora outra boa chance. A zaga falhou e a bola sobrou para o atacante, que bateu para fora. Os dois últimos lances de perigo na etapa inicial foram do Rio Branco, mas ambas esbarram nas mãos de Aloísio, destaque da partida até aquele momento.
Na volta do intervalo, o Rio Branco veio para o tudo ou nada. Comandados por Testinha, autor dos três na última rodada contra o Fast, a equipe do Acre criou a primeira chance aos quatro minutos, mas a bola passou rente a trave de Aloísio. Seis minutos depois, foi a vez de Panda salvar a pátria alvinegra. Com o goleiro já batido, ele tirou uma bola quase em cima da linha. O Rio Branco seguiu buscando o gol e aos 17 minutos Ney bateu forte assustando Aloísio.
A medida que o tempo ia passando, o jogo ia ganhando ares de dramaticidade. O Rio Branco dominava, mas esbarrava nas boas defesas de Aloísio e na forte marcação potiguar. O último suspiro do donos da casa veio aos 37, quando Marcelo Brás cabeceou com perigo, mas Aloísio fez outra boa defesa, garantindo o placar e a eliminação do Rio Branco. "Foi um jogo difícil, sentimos a parte física. Mas no coletivo foi bom, falhamos em alguns lances, mas isso é normal. Valeu pela luta e determinação destes jogadores. Isso prova que o ABC não só tem onze titulares e tem um elenco forte", explicou o técnico Ferdinando Teixeira ao final da partida.

Fonte: DN Online

E o Bahia conseguiu (ou conseguiram para o Bahia)

Com um gol aos 50min do segundo tempo, jogando contra um time com 9 jogadores, o Bahia consegue ir ao octogonal final. Impressionante! 4 torcedores do Bahia foram parar na ambulância quando ocorreu o gol.

Portanto, classificados:
Grupo 25: ABC e Bahia
Grupo 26: Barras-PI e Nacional-PB
Grupo 27: Vila Nova-GO e Atlético:-GO
Grupo 28: CRAC-GO e Bragantino

Jogos do ABC:

14/out - Bragantino x ABC
18/out - ABC x Atlético-GO
21/out - ABC x Bahia
24/out - Nacional x ABC
28/out - ABC x Vila Nova
31/out - CRAC x ABC
04/11 - Barras x ABC
07/11 - ABC x Barras
11/11 - Vila Nova x ABC
14/11 - ABC x CRAC
17/11 - ABC x Nacional
22/11 - Bahia x ABC
25/11 - Atletico x ABC
28/11 - ABC x Bragantino

Vamos subir ABC!

sábado, 6 de outubro de 2007

Dirigente do Bahia está lá em Rio Branco juntamente com a delegação do ABC

Vale tudo para impedir a despedida precoce do Bahia no Campeonato Brasileiro da Série C. O diretor financeiro e de marketing do clube, Marco Costa, foi flagrado pela reportagem da TV Bahia na concentração da equipe do ABC, em Rio Branco. O time de Natal fará neste domingo, na cidade, o último jogo da terceira fase do Brasileirão da Série C contra a equipe local.
Perguntado pelo repórter se o ABC estava motivado por uma gratificação (estimada em R$ 200 mil) para vencer o Rio Branco, o treinador da equipe potiguar, Ferdinando Teixeira, disse que "o principal objetivo é se classificar em primeiro lugar no grupo 25".
Marco Costa vem fazendo o corpo-a-corpo com a diretoria do ABC desde a derrota do Bahia para o time potiguar, quarta-feira, em Natal. Ele não retornou a Salvador com o restante da delegação tricolor na quinta-feira e viajou da capital potiguar direto para Rio Branco, no mesmo vôo do elenco do ABC.
Segundo informações divulgadas por dirigentes do clube potiguar, além de oferecer R$ 200 mil, o Bahia teria se comprometido a repassar metade da arrecadação líquida da partida entre ambos, na Fonte Nova, caso o Bahia passe para o octogonal final da Série C. Para tanto, não bastará que o time de Arturzinho vença o compromisso deste domingo contra o já eliminado Fast. É preciso também que o líder ABC faça a sua parte e roube pontos do Rio Branco.
Do blog: É mole ou quer mais? Eu acho que os 200mil não vão ser apenas para o ABC...

Fonte: A Tarde

Goianos fortes

Com o final da sexta rodada do grupo 27, consolidou-se o predomínio dos goianos no octagonal final da série C. Ao já classificado CRAC, em primeiro do grupo 28, juntaram-se o Vila Nova e o Atlético Goianiense.
O CRAC - Clube Recreativo Atlético Catalano - é de Catalão-GO, cidade próxima da fronteira com Minas Gerais, e manda seus jogos no pequeno estádio Genervino Fonsenca, aos moldes do Frasqueirão (veja foto).
Por falar em CRAC, alguém tem que avisar a Everaldo Lopes, que CRAC é uma coisa e CRACK é outra, muito pior!!
Ah, só o CRAC pode chegar aos 16 pontos nesta "semi-final" da série C, mostrando como está forte esse time.
O Atlético de Goiânia também manda seus jogos em estádio próprio, e pequeno, o Antônio Accioly. Ele é o atual campeão goiano, e de lá veio o goleiro Fábio Noronha que chegou a ser contratado pelo ABC no início da série C, lembram?
Apenas o Vila Nova joga no belo Serra Dourada.
Nós do BlogArcosta estaremos em 4 jogos do Mais Querido fora de casa: Contra o Barras-PI, e contra os 3 times de GO.

Fogo amigo

Novamente aparece de dentro de nossa terra denúncias para prejudicar o ABC. Vamos entender melhor o que está acontecendo:
Já está na pauta do STJD o julgamento do Mais Querido com relação à invasão de campo daquele garoto. Como fato isolado, creio que isso não vai dar em nada. Como já disse nesse blog, o garoto e quem o colocou foram identificados, foram retirados de campo para registro de B.O. que foi anexado à súmula.

O árbitro dessa partida, o sr. Hércules Martins da Silva, também declarou que as condições do estádio são EXCELENTES. Também informou que são excelentes a conduta dos policiais e da SEGURANÇA do estádio. Portanto, o "fogo amigo" não vem do árbitro.

Vou transcrever o que o árbitro relatou na súmula sobre a invasão:

Conduta do público: Boa, porém registramos que ao considerar o 1º gol em favor da equipe do ABC, o torcedor -------, de 11 anos, adentrou ao campo de jogo para comemorar com os atletas, sendo retirado IMEDITAMENTE pelos seguranças, não trazendo prejuízo ao jogo. Segue anexo B.O.

O relato do árbitro é auto-explicativo, e nem merece argumentos. Perfeito! O que me incomoda como "fogo amigo" é que, sabendo-se da pauta do STJD, o policiamento que estava no estádio do ABC no jogo com o Bahia, faz um escacéu sobre a segurança do estádio, dizendo aquelas loucuras que foram veiculadas na imprensa após o jogo do meio da semana.
Isso não é a toa meus caros ABCDistas, tudo é por interesse, interesses encarnados para ser mais preciso. Graças à Deus foi tudo desmintido pelo Coronel-chefe da PM.
Eu anexo a este texto a súmula do jogo.

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Punição para o ABC? Não acredito

O Diário de Natal publicou matéria que o ABC, no julgamento de segunda-feira, pode perder o mando de campo em até 10 jogos. Não é verdade. O artigo 213 reza:

Art. 213. Deixar de tomar providências capazes de prevenir ou reprimir desordens em sua praça de desportos. PENA: multa de R$ 50.000,00 (cinqüenta mil reais) a R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) e perda do mando de campo de uma a três partidas, provas ou equivalente quando participante da competição oficial.

De qq forma, é uma pena que isso tenha acontecido. Mas, o relator desse processo é o Dr. Sveiter, um cara sensato. E nem precisa do ABC ter uma grande advogacia por lá, pois o infrator (criança e pai) foi identificado, encaminhado à autoridade policial, e o boletim de ocorrência anexado à súmula do jogo.
Para quem não se lembra, um garoto (de 13 anos, eu acho) invadiu o campo no jogo de 2x0, contra o Rio Branco. O juiz relatou na súmula, mas mininizou o caso.
Na mesma segunda, Jean será julgado, pelo artigo 250, no jogo contra do Bahia na Fonte Nova:

Art. 250. Praticar ato desleal ou inconveniente durante a partida, prova ou equivalente.

PENA: Suspensão de uma a três partidas, provas ou equivalentes.

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Belas fotos do jogo

Nosso colega fotógrafo Rodrigo Sena captou 274 belas imagens do jogo ABC 2x1 Bahia. Separei aqui 9 dessas fotos. Todas as fotos estão disponíveis no site oficial.
Das fotos, destaco, a boa presença das bonitas ABCdistas, Wallyson plenamento integrado à torcida, o mesmo Wallyson deitado sobre o escudo do Mais Querido, além do bandeirão e outros grandes closes.


Frasqueirão não vai ser interditado

Diante da especulação surgida sobre a interdição do Frasqueirão, o coronel da PM já concluiu:
"A torcida do ABC pode ficar tranqüila, que não existe a menor possibilidade do estádio Frasqueirão ser interditado". Esta declaração partiu no início da tarde de hoje do chefe do policiamento da Capital, Coronel Ricardo. De acordo com ele, antes da Série C, o estádio passou por uma vistoria onde foi comprovada sua segurança e enviado o relatório para a Federação Potiguar e para a Confederação Brasileira.
O chefe do policiamento minimizou os fatos ocorridos ontem durante a partida, e disse que tudo que aconteceu poderia ocoorer em qualquer estádio do Brasil."O estádio tem capacidade para 15 mil pessoas. O que acontece é que muitas delas deixaram para comprar o ingresso de última hora e não encontraram mais. Os tumultos que aconteceram foi normal. A polícia está ali para controlar a situação, dentro, fora e nas vias de acesso e isso conseguiu ser feito", disse o coronel.
O coronel voltou a enfatizar também que ninguém da polícia pode elaborar um documento pedindo a interdição do estádio e "encaminhar a quem quer que seja", porque o estádio está todo dentro das normas de segurança. Ele enfatizou que o ABC deve continuar mandando seus jogos no estádio, mas pediu que se use outras alternativas para o torcedor, como por exemplo a implantação de telões nas imediações do estádio. "Quando se vender a carga de forma antecipada e se perceber que a procura está maior que a demanda, deve se conversar para se haver a liberação das imagens e a colocação de telões do lado de fora do estádio", sugeriu.

Isso tudo surgiu após o jogo ABC 2x1 Bahia. Provavelmente um policial americano. Leiam a matéria original:

O Comando do Policiamento da capital vai elaborar um documento nesta quinta-feira pedindo a interdição do estádio Frasqueirão. O motivo alegado é a falta de segurança do local para o grande número de torcedores. Segundo o capitão Marinho, que esteve à frente do comando do policiamento no jogo de ontem contra o Bahia ao lado do Major Túlio César, o documento será encaminhado ao Comandante geral da Polícia Militar do estado, Coronel Marcondes Pinheiro.
De acordo com o capitão Marinho, o Frasqueirão regsitrou vários problemas durante a partida de ontem, sendo o principal deles, a falta de segurança para os torcedores. "O ABC passou para gente que o estádio tem capacidade para abrigar 12 mil torcedores, ontem havia mais de 17 mil dentro do estádio e do lado de fora tinha, segundo nossos cálculos, aproximadamente 10 mil pessoas querendo entrar. Foi difícil controlar tanta gente. Isso foi vaidade do clube. Numa hora dessas, tem que se pensar mais no torcedor", explicou o capitão.
No documento que vão elaborar, o capitão disse que vai recomendar que a partida seja disputada no Machadão. "O Frasqueirão não tem condições de abrigar um jogo de final ou de maior importância. O local pode ser considerado pequeno para uma demanda tão grande. Por isso, neste relatório, além da interdição, consequetemente, vamos pedir que as próximas partidas sejam disputadas no Machadão, afim de que o público tenha mais conforto e lugares e que nosso trabalho seja facilitado", afirmou o capitão. Quando o Coronel Marcondes Pinheiro receber o relatório, vai caber a ele a decisão de encaminhá-lo ou não para ao Ministério Público.
A grande presença de público não foi o único problema registrado no Frasqueirão ontem. Do lado de fora do estádio, a polícia prendeu Elivaldo Dantas de Souza. Ele estava vendendo ingressos do jogo passado e lesou, em sua grande parte, torcedors do Bahia. Elivaldo, segundo a polícia, estava vendendo ingressos a até R$ 70 Reais. Ele foi abordado pela polícia e encaminhado à Delegacia de Plantão da Zona Sul. Com Elivaldo, foram apreendidos dentre outras coisas, R$ 1.617 Reais, dois ingressos legítimos, sete com datas do jogo passado, 13 carteiras de estudantes e 3 chips de celulares.
Pra prendê-lo em flagrante, a polícia encaminhou um grupo de quatro a cinco torcedores do Bahia para a Delegacia. Estes torcedores perderam o jogo e foram liberados logo depois de comprovarem o delito cometido por Elivaldo.

Fonte: Diário de Natal

Juca Kfouri comenta Bahia, e pouco fala do ABC

Em seu sítio, Juca Kfouri blogou a derrota do Bahia, mas não falou da vitória do ABC. Eu e um outro colega ABCdista Vasconcelos comentamos isso ao Juca.
Vejam o link do blog do Juca: http://blogdojuca.blog.uol.com.br/
Vou postar aqui o comentário do Vasconcelos, e o meu em seguida:

Poxa,Juca.Você e o lado sério da imprensa esportiva vivem cobrando estrutura e organização dos clubes.Mas na hora de elogiar,se omitem!O ABC passou por um período de humilhações,inclusive vendo o grande rival chegar na primeira,durante o qual se concentrou na melhora de suas condições estruturais e modernização de sua gestão.Hoje,colhemos os frutos.Os melhores jogadores do time são pratas da casa (olho em Wallysson,q o CAP levou barato) e o NOSSO estádio é a diferença (100% de aproveitamento).Nossas finanças estão muito bem,temos modernas instalações pra base e aumentaremos o Frasqueirão.E isso tem que ser elogiado!Tá certo que o Bahia é (foi?) um time grande.Mas não acho justo um comentário que só afirme a "derrota" do Bahia,e não confirme a vitória do Mais Querido.E eu esperava de você,que tanto cobra seriedade no futebol brasileiro,um comentário nesse sentido.Proposta:ao invés de falar só da má adminstração do jahia,fala também do bom caminho que se mostra ao ABC!

Caro Juca, o colega ABCdista Vasconcelos está mais do que certo, e tenho certeza que vc apóia o comentário do nosso colega. Que tal vc, Juca Kfouri, nesse octogonal final da série C dá uma passada em um dos 7 jogos do ABC em Natal e conferir pessoalmente essa estrutura citada pelo Vasconcelos? Estrutura essa elogiada por todos os times da série A que vieram treinar no nosso complexo do Frasqueirão quando dos jogos contra o América-RN. Todos que passaram lá elogiaram. Todos que passaram por lá fazem propostas para nossos craques da casa. Por isso que nosso grande craque Wallyson se foi (fica no ABC até o final da série C) para o Atlético-PR. Juca, posso afirmar SEM NENHUMA DÚVIDA, que Wallyson é o melhor jogador do Brasil na atualidade, contanto as 3 divisões nacionais. Esqueça um pouquinho o eixo sul-sudeste, esqueça um pouquinho a confusão MSI, dê um tempo no Trajano e venha à Natal. Eu moro em Brasília, mas no último jogo, o jogo da classificação para a B, estarei em Natal Abraço!

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Mudança da tabela do octogonal

Como havíamos publicado, houve realmente mudança na tabela do octogonal. Vigílio Elísio, Diretor de Competições, acaba de soltar o seguinte ofício da CBF:

Prezados Senhores:
Como é sabido, a tabela da atual terceira fase do Campeonato da Série C sofreu ajustes decorrentes das questões judiciais que antes impediam a definição de dois grupos (25 e 26).
Diante das modificações ocorridas com as datas originais, resultou uma série de distorções na distribuição de jogos na tabela do octogonal, prejudicando o aproveitamento de fins de semana para os clubes primeiro colocados, o que não faria sentido do ponto de vista técnico. Para sanar essa dificuldade, estamos publicando uma revisão da tabela da Fase Final (Octogonal), fazendo-a antes do encerramento da fase atual.


Portanto, o clube primeiro colocado não vai mais jogar todos os jogos em casa no meio da semana. Acabou ficando um "meio a meio". Por exemplo, caso o ABC se classifique em primeiro, ele jogara em casa no meio da semana (qua-qui) 4 vezes, e jogará no final de semana (sab-dom) 3 vezes. Caso o ABC seja segundo do grupo, acontecerá o mesmo: 4 vezes no meio e 3 vezes no fim de semana. A grande diferença é que sendo primeiro, o ABC estréia fora e termina em casa, contra Bragantino, Ulbra-RS ou América-RJ. Se o ABC se classificar em segundo, estreia em casa contra o CRAC-GO (já definido) e também termina jogando fora de casa com o mesmo CRAC.
Ver tabela completa do octagonal em: Site CBF

Então, a enquete ao lado não faz mais sentido (talvez ela tenha até ajudado!). Para o ABC ser primeiro do grupo, basta um empate no último jogo contra o Rio Branco. Caso o Rio Branco vença pelo placar simples, o ABC já passa a ser o segundo. O saldo de gols do Rio Branco é melhor que o do ABC.
Resumindo, com a mudança da tabela, passa a ser vantagem ser o primeiro do grupo.

Pode haver mudança na tabela

Tem rolado fortes boatos que vai haver mudança nas datas dos jogos do octagonal. Portanto o ABC, se se classificar em primeiro, sem a mudança da tabela, joga em casa nas quartas. Mas com a mudança, vai jogar em casa nos domingos.
Este é o motivo da enquete ao lado.
Vamos esperar, mas acho que isso vai mudar sim.
Não é uma mudança na tabela, pq o regulamento não permite, é apenas uma mudança nas datas.

Como foi o jogo?

Empurrado pelos mais de 16 mil torcedores que lotaram o Frasqueirão, o ABC nem deu tempo para o Bahia respirar. Logo aos três minutos, o xodó Wallyson aproveitou uma bobeada da zaga baiana e abriu o placar, explodindo a Frasqueira. Cinco minutos depois, o árbitro pernambucano Antônio Andre Souza expulsou Fausto, do Bahia, e Fábio Silva, do ABC, após desentendimento. Depois disso, o ABC se perdeu, recuou demais, parou de tocar a bola e caiu de produção. Com isso, os baianos vieram para cima e em dois lances Raniere teve que aparecer bem, sendo que na segunda, aos 18 minutos, o goleiro fez difícil defesa em dois tempos.
Atacando sobretudo pelo lado direito, com o bom lateral portiguar Carlos Alberto, o Bahia seguia melhor na partida, até que aos 36, Carlos Alberto cobrou falta da esquerda para direita e Moré desviou de cabeça para igualar o placar. No final da etapa inicial, o Mais Querido ainda perdeu o volante Jean, que deixou o campo chorando com suspeita de torção no tornozelo, sendo substituído por Wellington. No lance seguinte, Carlos Alberto cobrou escanteio e obrigou Raniere a praticar mais uma boa defesa. "Começamos bem, mas nos perdemos depois da expulsão do Fábio. Recuamos demais e tomamos um gol de bola parada. Agora é corrigir para buscar a vaga no segundo tempo", analisou Ferdinando.
Na volta do intervalo, o primeiro lance de perigo foi do Bahia. O lateral Adílson, ex-América, bateu falta com violência e obrigou Raniere a fazer mais uma boa intervenção. Nervoso, o ABC seguia mal, sendo dominado pelos baianos. O panorama só começou a mudar a partir dos 12 minutos, quando comandados por Wallyson, dono do jogo, o Mais Querido começou a dar às cartas. Aos 18 minutos, o xodó da Frasqueira acertou uma travessão, depois de cobrança de escanteio de Wellington. O bom momento fez com que Ferdinando sacasse o lateral Dênis e colocasse em campo o meia-atacante Éder, que tomou conta do jogo. Em seu primeiro lance, ele cobrou falta com perigo, a bola desviou na barreira e obrigou Márcio a praticar boa defesa.
Inflamados pela massa, o ABC acabou chegando ao segundo gol aos 32 minutos, novamente por intermédio de Wallyson. Éder venceu jogada pela esquerda e cruzou para o jovem atacante balanças as redes baianas, recolocar o Mais Querido em vantagem e explodir de vez o Frasqueirão. O gol sofrido abalou o adversário e por duas vezes os donos da casa quase ampliaram o marcador com Éder, sendo que na segunda delas com colaboração generosa de Márcio, que quase engoliu um frango. Depois daí o ABC jogou com personalidade e inteligência. Tocando a bola e administrando o resultado, o Mais Querido só esperou o apito final do árbitro pernambucano para comemorar a classificação.
Fonte: Diário de Natal
Foto: Franckie Marcone


ABC 2x1 Bahia
03/10, 17h00
Local - Frasqueirão, Natal-RN
Bahia - Márcio, Carlos Alberto, Alison, Eduardo (Cléber Carioca) e Adilson; Humberto (Danilo Gomes), Fausto, Emerson Cris e Cléber; Moré e Charles (Amauri). Técnico: Arturzinho
ABC - Raniere, Bruno Lourenço, Alan (Peu) e Fabiano; Dênis (Eder Richartz), Adelmo, Jean (Wellington), Juninho Petrolina e Rogerinho; Fábio Silva e Wallyson. Técnico: Ferdinando TeixeiraGols - Wallyson (3' do 1º tempo e 32' do 2º) e Moré (35' do 2º)Árbitro - Antônio André Rodrigues de Souza (PE)
Cartões amarelos - Cléber Carioca, Humberto, Alison, Charles e Cléber (Bahia); Adelmo, Fabiano, Rogerinho e Alan (ABC).
Cartão vermelho - Fausto (Bahia); Fábio Silva (ABC)
Renda - R$ 173.109,00
Público - 16.597